Aviso: prefira atendimento pelo telefone (47) 3322-4060 através do WhatsApp.
Skip to content

FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES DA INDÚSTRIA GRÁFICA, DA COMUNICAÇÃO GRÁFICA E DOS SERVIÇOS GRÁFICOS DO ESTADO DE SANTA CATARINA

menuclear
27 de fevereiro de 2020

Gráficos têm reajuste superior à inflação após elevação do piso de Santa Catarina

O movimento sindical catarinense conseguiu pelo 10º ano consecutivo um
reajuste salarial acima da inflação anual para o conjunto dos empregados das
indústrias do estado. O acordo com o setor patronal terminou positivo para
todas categorias envolvidas, a exemplo do ramo gráfico. O segmento teve um
reajuste de 0,5% acima da inflação acumulada no período, que ficou em
4,48%. A data de referência anual do aumento é 1º de janeiro. Com isso, o piso
salarial dos gráficos subirá de R$ 1.325 para R$ 1.391.
As negociações começaram em dezembro e terminaram no último dia 30. Já foi
validade por todas as entidades patronais e obreiras das atividades envolvidas.
Uma delas é a Federação Estadual dos Gráficos (Fetigesc), presidida por
Moacir Effting, que também lidera o Sindicato em Blumenau (STIG). Apesar do
bom resultado, ele conta que foi uma negociação difícil.
O movimento sindical lutava por um ganho real maior. Queria equiparação aos
pisos estaduais de outros estados, como do Paraná. “Embora não foi possível,
o reajuste foi superior ao concedido pelo governo federal sobre o salário
mínimo, que foi de 4,71%”, diz o coordenador das negociações, o diretor
sindical do Dieese, Ivo Castanheira. As entidades sindicais, por sua vez,
conseguiram garantir um aumento salarial variando de 4,91% a 5,05% sobre as
quatro faixas de categorias contempladas no piso de SC.

A indústria gráfica está contida na faixa 4, a qual possui o maior dos pisos,
especificamente R$ 1.391. O novo salário teve um reajuste de 4,98%. As três
primeiras faixas tiveram um reajuste de 4,92%, 4,91% e 5,05%, tendo os pisos
elevados para R$ 1.215, R$ 1.260 e R$ 1.331 respectivamente. “Lutamos para
que o aumento fosse acima de 5%, mas não teve jeito. Os patrões não levaram
em conta os dados que mostramos sobre a realidade do setor no Paraná e
outros estados, apesar da semelhança”, fala Moacir.
O fato concreto é que o movimento sindical garantiu um reajuste médio de
quase 5% (4,97%) a todos os trabalhadores da indústria catarinense. O
próximo passo agora é aguardar os trâmites do governo e Assembleia
Legislativa de SC. Como aconteceu nos nove últimos anos, o reajuste é
apresentado pelo governador ao Parlamento em forma de projeto de lei. Os
deputados o aprovam e enviam à sanção da lei pelo Poder Executivo.
A Confederação Nacional dos Gráficos (Conatig), entidade que o STIG é
filiado, parabeniza o trabalho da nova direção da Fetigesc na pessoa de
Moacir. “O dirigente dá demonstração clara da presença obrigatória do
sindicato no processo de negociações coletivas em favor do trabalhador.
Portanto, a ação sindical mostra e justifica a necessidade de os gráficos darem
sustentação aos sindicatos para que continuem defendendo seus direitos, uma
vez que as entidades têm maiores condições de enfrentar os patrões quando
há uma forte aliança com os trabalhadores”, comenta Leonardo Del Roy,
presidente da Conatig.

Parceiros

  • © 2020 Fetigesc
  • FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES DA INDÚSTRIA GRÁFICA, DA COMUNICAÇÃO GRÁFICA E DOS SERVIÇOS GRÁFICOS DO ESTADO DE SANTA CATARINA
  • E-mail:  federacao.sc@sindgraf.com.br
  • Telefone: (47) 3340-7008 / (47) 99193-9015
Contato
    Desenvolvido por: Bsuix.cc